Oh Deus, nos dê ousadia!

 

No último domingo, dia 21/04/2019 tivemos a terrível notícia de que 8 bombas haviam sido explodidas em locais onde se sabia que haveria um grande número de pessoas, dentre elas aquelas que especificamente estavam comemorando a Páscoa cristã.

A contabilidade até hoje soma 253 mortos e mais 500 feridos, alguns gravemente o que pode fazer com que o número de vítimas fatais aumente.

A maioria dos alvos era claramente cristãos, isso chama a atenção, pois de alguma forma, não eram as pessoas o problema, mas quem elas seguiam ou professavam, Jesus Cristo.

A revista Superinteressante detalha os locais do atentado dizendo que 2 igrejas destruídas na capital Colombo eram católicas, mas também uma bomba explodiu em um templo protestante na cidade de Batticaloa. Informação noticiada em 22/04/2019[i].

Verifica-se que raiva não é contra o homem, mas contra Jesus! Nenhuma mesquita ou templo budista foi atingido e neles também haviam pessoas. A questão é quem essas pessoas seguiam. Em locais onde não havia seguidores de Buda ou de Maomé é que foram os alvos principais.

Já na terça-feira 23/04/19[ii] a revista Crusoé trazia a informação de que o Estado Islâmico se valendo de uma mensagem via Telegram havia assumido a autoria dos atentados.

Entretanto os cristãos precisam estar cientes de que as perseguições naquele país não se restringem àqueles praticados pelos grupos radicais islâmicos, pois os muçulmanos e budistas também se ocupam de ofender e agredir aqueles que se identificam como seguidores de Cristo, apesar do Sri Lanka ser um país cujas leis garantem a liberdade religiosa.

Quando eu orava pelos familiares das vítimas, pelos cristãos verdadeiros que lá estão e também pela sociedade e governo daquele país me recordei de alguns versículos das Escrituras e recorri a eles.

Tais textos tratam da compreensão e atitude dos nossos irmãos no início da igreja frente as perseguições e que deveria ser a nossa atitude e compreensão também.

Um deles é Atos capítulo 4, onde Lucas relata que Pedro e João foram presos por pregarem a ressurreição de Jesus Cristo e mesmo sendo claramente ameaçados pelos líderes judeus para que não falassem mais de Jesus, afirmaram diante deles que não parariam. Ao serem soltos se juntaram a igreja.

Especialmente importante é a oração daquela igreja e que contrasta muitas vezes com a essência das orações atuais. Lá não insistiram em pedidos de livramento, mas entregaram as perseguições às considerações de Deus e clamaram a ele por ousadia para que cumprissem o que lhes cabia, pregar o Evangelho. (Lc 4:24-31).

Quando vemos notícias como as de Sri Lanka somos levados pela compaixão naquilo que abrange a vida terrena. Não que esteja errado a compaixão até porque é impactante a qualquer ser humano, normal, tomar conhecimento do assassinato coletivo e covarde da forma que foi em Sri Lanka. Mas os cristãos em Atos 4 estavam preocupados com aquilo que a eles cabia, queriam continuar testemunhando sobre quem é Jesus, o Cristo. Não pediam conforto, pediam ousadia, ou seja, consideravam que as coisas não melhorariam, mas sabiam que o foco na propagação do Evangelho deveria ser mantido. (vs. 29).

É assim que devemos orar! Com compaixão pelas vidas, mas porque não são salvas e para que Deus dê ousadia aos irmãos que lá estão para que continuem a pregar a mensagem da cruz e salvação em Cristo Jesus.

Nossas orações não devem se limitar a chorar os mortos, porque aqueles que estão em Cristo vivos estão. Também não devo pedir indiscriminadamente livramento, mas ousadia para que nos momentos entre a vida e a morte, meus irmãos saibam que já estão mortos para este mundo e vivos eternamente e o que importa acima de tudo é não negar o Senhorio de Jesus.

Não foi assim com Estevão? Após a oração de Atos 4:29 pedindo ousadia em Atos 7 o diácono Estevão não foi livre da perseguição e da morte, pelo contrário ele foi executado, mas a sua morte se tornou o maior testemunho de sua vida para a glória do Pai, influenciando decisivamente a vida do Apóstolo Paulo.

Também não posso esquecer do fato tão aterrador quanto o que ocorreu no Sri Lanka, mas que aconteceu na cidade de Christchurch, Nova Zelândia em 15 de março deste ano, quando aquele jovem de extrema-direita que enquanto matava friamente homens, mulheres e crianças que estavam dentro de duas mesquitas transmitia suas ações insanas ao vivo pelo facebook.

O assassinato, matar de forma planejada não deixa de ser uma afronta a Jesus Cristo, pois qualquer que mata deliberadamente é repulsivo por sua conduta diante dos olhos de Deus.

Ao cristão verdadeiro cabe pregar o evangelho e sofrer se for preciso, sempre mantendo a ousadia de falar a verdade. Tudo mais é competência do Espírito Santo e não nossa.

 Lembrai-vos da palavra que vos disse:

 Não é o servo maior do que o seu senhor.

Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós;

se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa.

Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome,

 porque não conhecem aquele que me enviou.

Joã 15:20 -21- ACF

Está aí a explicação do ódio que as pessoas sentem quando se fala em Jesus Cristo… é porque não conhecem a Deus, mas nós conhecemos por isso pregamos. Dê-nos ousadia Senhor!

Também é esclarecedor Lucas ao registrar as palavras de Jesus quando trata daqueles que impõe a morte como forma de obrigar o outro a se adequar aos seus padrões.

E digo-vos, amigos meus:

Não temais os que matam o corpo e, depois, não têm mais que fazer.

Mas eu vos mostrarei a quem deveis temer;

 temei aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no inferno;

 sim, vos digo, a esse temei.

Lucas 12:4-5 – ACF

Matar o corpo é o ato máximo que alguém pode impor ao cristão para que ele deixe suas convicções, mas a morte física não é motivo suficiente para impedir o cristão verdadeiro de testemunhar sobre o seu Senhor, pois ele tem vida eterna.

Dessa forma o crente se torna inabalável. É impossível demovê-lo de sua missão de servir ao Deus Altíssimo.

É impossível parar um missionário em sua obra se ele tiver uma forte convicção de vida eterna. Não haverá tortura, perdas ou frustrações que possam impedi-lo de pregar o Evangelho. O único meio será matá-lo, mas até para isso ele estará preparado e se sua vida for tirada lhe será promoção, pois nova vida tem e novo corpo receberá, melhor do que o primeiro.

Ousadia! Ousadia! Ousadia é o que pedimos a Deus. Que o Espírito Santo dê a todos nós poder para não nos acovardarmos diante das ameaças que imponham que neguemos a Jesus Cristo como nosso Senhor que foi morto, ressuscitou e que está sentado à destra do Pai.

A Ele seja a honra, a glória e o poder pelos séculos dos séculos Amém!

Cantoca, Pastor e escritor do www.tornatepadrao.com.br

_______________________________________________________________

[i] https://super.abril.com.br/sociedade/por-que-existem-cristaos-no-sri-lanka-e-por-que-eles-sao-perseguidos/

[ii] https://crusoe.com.br/diario/estado-islamico-assume-autoria-de-ataques-no-sri-lanka/